Sara Tavares

Sara Tavares

Novo disco “FITXADU”

Disponível em: https://SaraTavaresFitxadu.lnk.to/lJpH_PR

Edição Disponível Também em Vinil

“Após uma longa ausência, a cantora regressa com Fitxadu, o disco mais corajoso da sua carreira.” Gonçalo Frota in jornal Publico 20 Outubro 2017

Sara Tavares está de regresso às edições discográficas. Chama-se “Fitxadu” e é o quinto trabalho de originais de um nome maior da música portuguesa. “Fitxadu”, “fechado” em crioulo de Cabo Verde, marca “o encerramento de um ciclo, e como todos os capítulos, o inicio de um novo”.

Pela primeira vez, Sara Tavares partilha a produção musical e composição das suas canções, na companhia de nomes como Kalaf Epalanga, Toty Sa´Med, Manecas Costa, Bilan (Cachupa Psicadélica) Princezito, Nancy Vieira ou Paulo Flores, entre muitos outros.

“Coisas Bunitas” e “Brincar de Casamento” anteciparam a chegada do quinto trabalho de originais com data de edição dia 27 de Outubro de 2017 (Sony Music Portugal), revelando uma sonoridade renovada.

Sem pressas, com a qualidade a que nos tem habituado, numa carreira ímpar com mais de 20 anos, o último single “Brincar de Casamento” surge de uma colaboração – como muitas neste novo disco – com Toty Sa’Med e Kalaf Epalanga na autoria e composição do tema.

Toty Sa’Med, cantor, compositor e multi-instrumentista nascido em Luanda, é um dos artistas mais promissores da nova música angolana e junta-se a Sara Tavares em“Brincar de Casamento”.

“Para se poder “Brincar de Casamento” é necessário manter uma certa inocência da criança em nós e continuar a acreditar na essência do Amor”, diz-nos Sara Tavares sobre este novo single.

É com a doçura que nos inspira, que recebemos música nova com a assinatura de Sara Tavares.

Alinhamento
“FITXADU”
1. INTRO – ONDA DE SOM
(Música de Loony Johnson e Sara Tavares / Letra de Sara Tavares)
2. SO SABI
(Música de Sara Tavares e Manecas Costa / Letra de Sara Tavares e Virgilio Varela)
3. GINGA
(Música de Sara Tavares e Nancy Vieira – Letra de Sara Tavares e Nancy Vieira (com excerto de “SUOR DI NÔ PÚBIS”: música e letra de Adriano Gomes Ferreira)
4. COISAS BUNITAS
(Música e Letra de Sara Tavares)
5. FILINGADU
(Música e Letra de Sara Tavares)
6. BRINCAR DE CASAMENTO feat. Toty Sa´Med
(Música de Sara Tavares, Toty Sa’Med, Kalaf Epalanga / letra de Sara Tavares, Toty
Sa’Med e Kalaf Epalanga)
7. TER PEITO E ESPAÇO
(Música de Sara Tavares, João Pires, Edu Mundo / Letra de Sara Tavares, João Pires, Edu Mundo)
8. TXOM BOM
(Música de Sara Tavares / Letra de Sara Tavares e Virgilio Varela)
9. FITXADU feat. Princezito
(Música Sara Tavares Letra de Sara Tavares e Princezito)
10. PARA SEMPRE AMOR
(Música e Letra de Bilan)
11. FLUTUAR ft Paulo Flores
(Música de Sara Tavares / Letra de Sara Tavares e Paulo Flores)
12. COISAS BUNITAS (iZem & Karlos Rotsen Remix)
Faixa exclusiva da Edição digipack FNAC

Contactos
Management | Ani Fonseca management@saratavares.com
Página Oficial no FB https://www.facebook.com/SaraTavaresOficial/
Canal Vevo Sara Tavares

Biografia

É difícil reconhecer a Sara Tavares que nos foi revelada, faz agora 23 anos. Não porque renegue os primórdios da sua carreira; apenas porque 23 anos decorreram entretanto e ela tomou as rédeas da sua carreira com uma invulgar determinação.

O seu primeiro álbum (1996) foi gravado com o coro gospel Shout, um coro criado por si e por Dale Chappell, que viriam acompanhá-la também em espectáculos ao vivo durante dois anos.

O segundo, “Mi Ma Bô” (1999) propunha uma sonoridade de fusão afro-pop-soul raramente tentada em Portugal, registada em França e produzida pelo franco-congolês Lokua Kanza. Chegaria ao Disco de Ouro em Portugal– inabitual num mercado onde a música de raízes negras só muito raramente atinge os primeiros lugares de vendas.

Ambos foram passos de gigante em direcção a uma sonoridade pessoal e intransmissível, onde as suas raízes cabo-verdianas, o seu amor pela soul e a sua facilidade com uma melodia contribuem para criar uma verdadeira música do mundo.

Uma música do mundo alimentada pelos encontros e pelas viagens que Sara Tavares fez ao longo dos anos, a partir do momento em que “Mi Ma Bô” começou a viajar e a sua autora com ele. Tinha já havido concertos em África e na Europa, colaborações com músicos brasileiros (como Ivan Lins), espanhóis ou alemães.

Mas foi uma triunfal actuação no mercado de world music WOMEX, em Roterdão, na Holanda, em 2001, que lhe abriu as portas do mundo: actuações em Espanha, Itália, Finlândia, Suiça, Alemanha, Bélgica, França, Namíbia, Zimbabué, Cabo Verde, Angola, Moçambique…

À medida que Sara Tavares viajava, e que as suas experiências enriqueciam a sua música, ela descobria também uma nova simplicidade, uma confiança cada vez maior na sua voz.

“Balancê”, o terceiro álbum (2005), foi ao mesmo tempo a prova de que este talento não estava disposto a manter-se fechado em gavetas; o seu verdadeiro cartão de visita internacional, com edição um pouco por todo o mundo; e a confirmação de uma cantora-compositora capaz de fazer a ponte entre África e a Europa com uma sensibilidade pessoalíssima. Tudo reconhecido pelo sucesso comercial (em Portugal, “Balancê” atingiu o Disco de Platina) e pela aclamação da crítica (Sara Tavares foi nomeada como Artista Revelação para os prémios BBC de World Music em 2007).

Mas todas as viagens implicam também um regresso a casa para descansar, recuperar energias e decidir o próximo destino. É exactamente a esse regresso que Sara Tavares nos convida com “Xinti”(2009): descobrir estas 14 canções é descobrir o modo como o seu talento cresce com cada nova viagem, como a sua visão do mundo não exclui mas inclui. E o privilégio de podermos fazer parte dessa descoberta é algo de inesquecível.

Depois de, em 2010, a sua tournée ter sido interrompida por razões de saúde, em 2011 Sara Tavares foi chegando devagarinho;
Primeiro, ganhando o prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards, logo em Fevereiro;
Depois, colaborando em estúdio com vários artistas, nomeadamente os Buraka Som Sistema;
Partilhando experiências e o palco com Nelly Furtado e Joss Stone nos festivais de Verão.
Em 2012, continuou a levar aos palcos nacionais e internacionais, a sua tournée “Xinti” onde, em Maio, recebeu na Alemanha o prémio anual do África Festival 2012, em reconhecimento da sua carreira;
Entre Maio e Dezembro participou também em diversos espectáculos de Homenagem a Cesária Évora, retomando o seu espectáculo no inicio de 2013, apresentando-se na Europa, África e Caraíbas.

Em 2014, Sara Tavares celebrou 20 Anos de Música! A celebração tomou forma em dois espectáculos completamente esgotados no Teatro São Luis, que se iluminou nessas noites mostrando uma Sara Tavares madura, serena e fazendo completamente do palco a sua casa, ao qual se juntou um público completamente rendido e saboreando cada momento.

No meio desta celebração fez nascer, em conjunto com o actor/encenador Fernando Nobre, o espectáculo “Bom Feeling” – um espectáculo de teatro musical dedicado aos mais novos, com texto de Fernando Nobre, música de Sara Tavares tocada e cantada ao vivo e onde ambos vestem personagens que interpretam em palco. Este espectáculo foi apresentado no Teatro-Estúdio Mário Viegas, em duas sessões rapidamente esgotadas e com grande alegria e receptividade por parte do público infantil.

2015 foi um ano de colaborações em disco e ao vivo: Carlão, António Chaínho, Ferro Gaita, entre outros.
E em 2016 enquanto preparava o novo álbum, é lançado o primeiro single “Coisas Bunitas”, que rápidamente teve a atenção do público (mais de 1 milhão de visualizações no youtube) e dos media, mostrando já um pouco da sonoridade que teria o album “Fitxadu”, lançado em Outubro de 2017.

Primeiro surgiu o segundo single “Brincar de Casamento”, onde partilha a composição com Toty Sa’Med – que canta também em dueto com ela – e Kalaf Epalanga, ambos angolanos e logo depois chega então “FITXADU”

Fitxadu (fechado – em criolo de Cabo Verde), significa que alguma coisa está fechada e que nunca se irá perder.
Em Cabo Verde existe a expressão “fitxadu na petu” (fechado no peito); não irá mais sair.

Sara Tavares participa na autoria de quase todos os 11 temas, quer como compositora ou letrista. A excepção é “Para Sempre Amor”, com letra e música de Bilan.

A diferença em relação aos seus trabalhos anteriores é que, em “Fitxadu” há uma ideia de um trabalho mais partilhado, seja a nível das próprias composições, como também a nível da produção de cada música.

Paulo Flores, Toty Sa´Med, Princezito – que, para além de parceria nas composições, cantam em dueto com Sara Tavares – Nancy Vieira, Kalaf Epalanga, Manecas Costa, Bilan, Conductor, Boddhi Satva, Loony Johnson, são só alguns dos compositores e produtores com quem Sara Tavares colaborou para obter as cores que procurava para este trabalho. Cores que passam por explorar novos sons na sua música; a introdução de elementos mais electrónicos que se complementam com a riqueza dos arranjos dos instrumentos acústicos, e claro, a voz, esta voz única, que reconhecemos à distância; uma embaixadora de melodias, ritmos, palavras e efeitos.

Com “Fitxadu” há o fim da espera por um novo álbum; um encerramento de um ciclo. E nesta nova etapa que se inicia, permanece a vontade de continuar a criar neste processo um pouco mais colectivo e menos individual. E isso só pode trazer boas coisas!

Para já, há que ouvir e degustar “Fitxadu” e será inevitável dançar também.
Mas não se esqueçam: uma vez que se ouve, fica “fitxadu na petu”.

Em 2017, foi também distinguida com a Medalha de Mérito Cultural pelo Primeiro Ministro e Ministro da Cultura de Cabo Verde.

Discografia:

“Fitxadu” (2017)
“Brincar de Casamento” Ft Toty Sa’Med (single, 2017)
“Coisas Bunitas” (single, 2016)
“Xinti” (2009)
“Alive in Lisbon” (DVD 2008)
“Balancê” (2005)
“Mi Ma Bô” (1999)
“Sara Tavares & Shout!” (1996)