Omar Victor Diop

Omar Victor Diop

Nasceu em 1980, em Dakar, no Senegal

Reside e trabalha em Dakar.

Omar Victor Diop nasceu em Dakar em 1980. Desde a sua infância, Omar Victor Diop desenvolveu um interesse por Fotografia e Design, essencialmente como meio de captura da diversidade das sociedades e estilos de vida africanos modernos.

O sucesso rápido do seu primeiro projeto conceptual 2112 “Le futur du beau», que esteve presente na Exposição Pan-Africana da Bienal Africana de Fotografia de 2011 em Bamako (Rencontres de Bamako), encorajou-o a, em 2012, pôr um fim na sua carreira em Comunicação Empresarial para se dedicar à fotografia.

Omar Victor vive em Dakar, o seu trabalho inclui Belas Ares e Fotografia de Moda bem como Fotografia Publicitária. Gosta de misturar as suas fotografias com outras formas de arte, como figurinos, estilismo e escrita criativa. Isto é particularmente visível na sua série “Studio des Vanités” (2013), em que ele segue as suas investigações entre fotografia e design, com uma forte influência de retratos africanos históricos.

«Staged Portraits of Africa’s Contemporary Urban Scene (Retratos Encenados da Cena Urbana Contemporânea).

Isto são as novas caras da cultura urbana do continente. São negros, árabes, caucasianos, asiáticos… não importa. São criativos e ambiciosos, mas mais importante ainda, dedicam-se às suas vidas do dia-a-dia e a tornar os seus sonhos realidade. Nesta série, o objetivo é retratar uma geração que procura demonstrar o universo urbano africano e a sua próspera produção artística e trocas.

O objetivo é ir para além da ilustração estritamente estética de uma juventude bela… Todos os retratos são o resultado de uma colaboração entre quem se senta para ser fotografado e o fotógrafo.»

A sua série intitulada “Diaspora” (2014) é uma viagem no tempo. Uma jornada que tem como ponto de partida o presente, em particular a questão da imigração africana para a Europa e o lugar desta população imigrante na sociedade. Diop obriga-nos a reconsiderar a nossa perceção da história chamando à atenção para africanos notáveis a viver na Europa entre os séculos XV e XIX. A integração dos elementos do futebol, cria uma ponte entre o passado e o presente e questiona a posição dos africanos hoje em dia.

A sua última série “Liberty” (2017), reconta, reinterpreta e justapõe momentos de protestos negros diferenciados por período, local e tamanho, colocando os mesmos na mesma cronologia frenética de uma busca por direitos e liberdade.

Staged Portraits of Africa’s Contemporary Urban Scene (Retratos Encenados da Cena Urbana Contemporânea).”