Marcel Miracle

Marcel Miracle

Nasceu em 1957, em Moramanga, Madagáscar
Reside e trabalha em Lausanne e na Tunísia do Sul.

Geólogo em África e Professor de Escola na Suíça, Marcel Miracle tenta organizar o seu caos num cosmo.
Durante mais de 20 anos, fez milhares de pequenos desenhos com tinta e cor e lápis que visam mostrar-se como as palavras de um romance, onde os atores são o transiente. Marcel Miracle é um formigueiro do qual cada formiga carrega um fragmento de um livro abandonado. A reconstituição irá certamente demorar.

Posiciona-se numa noite tripla:
– Cegueira: A impossibilidade teórica de Kant de ver a coisa em si mesma, para além do fenómeno
-Falta de fé
-Precariedade material, que partilha com a maioria dos seres humanos

Mas experimentou a experiência metafisica da coisa em si mesma com a prática de ORIZON: a concordância de pontos de fogo mentais e pontos focais no espaço, levando assim à descoberta de vestígios deixados por acaso, ou seja, de acordo com as palavras de Heráclito, «a mais bela ordem mundial.» Também pratica o princípio do dano [ou da sua ausência] e estende-o ao mundo mineral
(«o atingir de uma pedra atingiu doze» René Char.) Por fim desfruta do lado selvagem da arte, do tempo como uma convulsão temporária do mundo material: o estado vibratório resultante leva-nos do caos ao cosmo.